Ingrata Acolhida

“Atacante Karim Benzema gera revolta ao ser flagrado cuspindo no chão ao término da execução da Marselhesa (Hino Francês). Ocasião se deu no clássico Real Madrid x Barcelona, onde o Hino foi executado em homenagem às vitimas de ato Terrorista em Paris. Deputada Francesa Nadine Morano diz ato ser indescupável, e pede por sua exclusão definitiva da Seleção Francesa”

– Jormal o Globo, 24/11/2015

Devo confessar uma coisa à vocês; (mais uma)

Sempre que assisto aos jogos da seleção Francesa, demoro de 10 a 15 minutos para entender que se trata da seleção Francesa.

Motivo?

Só vejo Africanos.

O que há de mal?

Nada, talvez.

E quando estes jogadores são africanos muçulmanos (Religião enorme na África) e professam abertamente antipatia aos valores Franceses, estes taxados de “Xenófobos”?

Se o leitor pesquisar, achará no minimo uma meia duzia de jogadores “Franceses” (todos estrangeiros naturalizados, ou filhos de imigrantes não raro muçulmanos) dizendo abertamente que não cantam o Hino Nacional Francês quando este é entoado nos estádios. Motivo? Não se indentificam. Ou pior; – são até mesmo ostensivamente contra.

Falemos de Benzema; Personagem da matéria.

Na matéria há video dele cuspindo logo após a execução do Hino em homenagem as vitimas dos atendados recentes.

“Vi video! Cuspiu por acaso! Um pigarrinho e”

Será? Bom, coindicencias acontecem. Mas o fato é que ele já afirmou diversas vezes não cantar o Hino por considera-lo “Xenófobo”.

Aì eu me pergunto; Porque diabos os Pais desse sujeito sairam do Paraíso Islãmico (Argélia) e mudaram-se para o Terror Xenófobo (França)?

Porque?

A Maldita França, sendo tão maldita, deu oportunidade digna a seus Pais, deu a ele proprio uma carreira milhionária e reconhecimento. E o que ele faz? Cospe em tudo o que lhe foi dado, e jura (pretensamente) amor à um país que nunca lhe deu nada, e a uma fé incapaz de erguer um só país pacífico e Ordeiro no mundo.

Digam-me vocês; Se os pais deste marginal continuassem em seu País de origem, continuasse na Argelia, qual seria o seu futuro? Provavelmente estaria comendo grama. (e não a de um campo de futebol)

Ingratidão é uma merda. (perdoem-me o palavreado; a zanga tem seus privilégios)

Este sujeito deveria ser expluso a bofetadas, expulso a pontapés.

Tire esta camisa azul, que lhe rende alguns milhões de dólares e vá vestir a camisa Argelina, hipocrita maldito.

É este tipo de imbecil que a Europa acolhe.

O Seu Domínio

O Evangelho Apócrifo de Tomé, apesar de Apócrifo (coitado), é um dos meus favoritos. Nele há registrado um dito de Jesus, que vai como se segue: – “Feliz do Homem que sabe por onde os ladrões vão entrar. Porque desta forma, ele pode se levantar, passar em revista o seu domínio, e armar-se antes deles invadirem.”

Ora, isso é exatamente o que nós não fomos – e não temos sido – capazes de fazer. Com uma breve estorinha estilo almanaque, contarei a queda da Instituição mais preciosa, poderosa e antiga do mundo: – A Família . Usarei o Brasil como cenário, por empatia. Década de 60. É cedo, pela manhã. A campainha toca:

– Pois não?
– O senhor que é o dono da casa?
– Sim.
– Pois venha, preciso ter uma palavra contigo.
– Por favor!
(Entram. Vão à sala. Surge uma mulher, cortês, que oferece café. O sujeito aceita, sem hesitar.) – O nome da Família?
– Silva.
– É um belo nome… Muito original.
(Todos sorriem, concordando. O sujeito retira um chumaço de panfletos do bolso) – Tomem, um para cada um.
– O que é isto, doutor? (pergunta a senhora Silva)
– Orientações.
– Para? (pergunta o senhor Silva)
– Aprenderem a relacionarem-se entre si.
(Há um leve constrangimento.) – Ora, senhor, me desculpe, mas nós nos damos muito bem! Somos uma boa família! Eu, minha amada esposa e contamos já dois filhos; um casal!
– Sim, vejo que sim.
– No mais, vai me perdoar, mas sequer o conheço! Quem é o senhor?
– Um burocrata (ajeita o óculos) Um burocrata Estatal.
– O que é isto? (Senhora Silva indaga, curiosa.)
– Sou um representante do Estado, senhora Silva. Meu papel é ensina-los a como sentir, como pensar e como agir em Família.
– E isto é necessário, doutor?
– Como não?
– Nunca houve necessidade…
– Pois agora há.
– E porque diabos?
– Novos tempos, senhora Silva, novos tempos… (limpa a lente do óculos com o pano da camisa) Peço que leiam os panfletos separadamente. Mas por hora podemos fazer uma breve introdução.
– Vamos lá! (Senhora Silva animada. Senhor Silva enterra-se no sofá)
– Senhora Silva, a senhora sente-se acuada pelo seu marido?
– Ei! (Senhor Silva salta do sofá) Que espécie de pergunta é esta?!
– Vejo que sim. (o burocrata anota)
– Não! Não senhor! Meu marido trabalha muito! E é um doce com as crianças! Nós estamos juntos há 10 anos e.
– Está tudo bem senhora, eu entendo o seu drama.
– …
– Senhor Silva, o casamento sem duvida é um fardo para o senhor. Tantas despesas e responsabilidades… E a fidelidade? Difícil para um Homem manter a fidelidade…
– Ora, são as responsabilidades que fazem um Homem! Quanto a minha fidelidade, quem é o senhor para se meter nestes assuntos?
– Já está respondido. (o burocrata anota)
(Entra o filho do casal, rindo e com uma bola debaixo do braço.) – Ei! Este é meu garotão! Grande Campeão! (Senhor Silva, fazendo festa com o filho)
– Não está exigindo demais do seu filho, senhor Silva?
– Como?
– E se ele não for um campeão? E se vier em segundo, ou até mesmo em terceiro?
– É meu filho! E eu o amo!
– Entendo (o burocrata anota)
(Entra a filha com uma boneca debaixo do braço, sorridente) – Ei! Bela Filha!
– Papai!
– É linda! (celebra a Mãe)
– Olha, não volte mais para a rua, certo? Logo iremos almoçar! (diz o Patriarca)
(O burocrata olha de soslaio, toma a menina pela mãozinha delicada; diz) – Como consegue, minha filha?
– O que, seu moço?
– Viver sob todo este autoritarismo e.
– Mas está mesmo quase na hora do almoço, seu moço!
– Está querendo proteger o Pai, isto é muito comum… (o burocrata anota)
– Bom, já foi feita a avaliação: – Esta Família realmente está aos pedaços (fala com ar grave, científico, terminando anotações) Não se preocupem: – Logo criaremos juizados, delegacias especiais, facilitaremos o divórcio, e instituições macabras como esta não mais durarão 30, 40 anos. (levanta-se, ajeitando o sobretudo) – Chegará o tempo em que se casarão num dia e se divorciarão no outro! (declara, como que anunciando a cura para o Câncer) – Até lá, aguentem firme! (Conclui e sai, batendo a porta atrás de si)

Zoeira Islamico-Brasileira

“Sheik atrai brasileiros para islamismo com ‘Zoeira’, redes sociais e discurso de tolerância” – Jornal O Globo, 05/10/15

Será uma zoeira quando cabeças começarem a rolar no Brasil!

E ainda ouço muito o seguinte;

“Miceli, com tantos problemas no nosso Brasil, porque você perde tanto tempo com questões internacionais, porque perde tanto tempo com o Islã?”

Ora, as Ideias socialistas e comunistas que inspiraram o Bolivarianismo tal como é disseminado e praticado na América Latina não surgiu na América Latina. O socialismo e o Comunismo que hoje assolam o Brasil e afundam todo um continente em miséria (material e cultural) foi importado do Leste Europeu.

O Brasil não é uma Ilha, meus senhores. Se faz de Ilha para o que é bom, mas para importar coisa ruim é uma maravilha!

Assim também está sendo e e assim também será com o Islã, com uma diferença;

O Comunismo sem duvida é avassalador; Uma fábrica de miseraveis e de anti-pessoas; A ascensão de grupos e de classes, a morte do indivíduo. O Reino de um Partido e a miséria geral.

Mas sendo apenas o projeto de poder perpetuo de uma classe, embora seja um movimento internacional, seu alcance é limitado. No mais, é composto por sujeitos egoistas, frouxos e covardes, que não estão dispostos a morrer por nada e só são bravos quando são maioria. (Ou quando estão armados e seus inimigos desarmados; Por isso mesmo, assim que ocupam o poder, tratam rapidamente de desarmar o pior de seus inimigos; A população que eles dominam)

Já o Islã, meus amigos, é o pacote completo. Há o modo Islãmico de se vestir, de comer, de se relacionar e até de escovar os dentes! E esses homens não são homens de geléia; Podem ser completamente loucos, mas são bravos e não se importam em morrer pelo que acreditam, mesmo diante das circunstancias mais desfavoraveis.

Ademais, não é um movimento novo, de poucas décadas ou séculos; É um projeto civilizacional com peso milenar que realmente já edificou civilizações (O Comunismo nunca edificou um tijolo, só destruiu)

Com o nosso povo descristianizado, sem valores firmes, sem consciência Historica e sem identidade Nacional, os muçulmanos passarão sobre nós como um rolo compressor.

Vejam os rostinhos ingenuos e inocentes das fotos das materias;

“Hihihi! Zoeira! Hihihi! Os Imperialistas são muito maus! hihihi!”

Daqui a 15 anos estarão todos sendo obrigados a se explodir pelo Islã. E se negarem, serão eles mesmos explodidos.

Que zoeira!

Diálogo Civilizacional

Dialogo entre um cidadão civilizado Ocidental e um Muçulmano:

Alahu Akbar!
– Que é isso?!
– Deus é grande!
– Argh…
– O que tem?
– Essa estória de Deus é balela! Coisa antiga!
– Não tem Deus no Ocidente?
– Nem no Ocidente, nem em lugar nenhum! Deus não existe!
– O que existe, então?
– Tudo! Menos Deus!
– Pois para nós Deus é tudo.
– Não me venha com sofismas!
– E a Ordem, e as Leis do Universo?
– Tudo acaso! Explosão! Aglomerados aleatórios! Evoluções acidentais! Eu sou um acidente!
– Estou vendo que é! Que crendice! Vá acreditar em coincidências assim lá longe!
– Ora, você não entende nada de filosofia moderna, nem de Ciência! Você é um bruto!
– Nisso tem razão! Alias, foi para isso mesmo que eu vim.
– Para que?
– Passar-lhe ao fio da espada.
– Absurdo! Com que Direito?
– Está escrito para eu passar os infiéis ao fio da espada, e você é um infiel.
– Loucura!
– Para mim faz todo o sentido.
– Isto não é certo! Matar pessoas não é certo!
– Com base em que diz isso?
– É desumano! É monstruoso!
– Pois eu sou humano e acho matar e morrer muito humano. Desde que o mundo é mundo os homens matam e e os homens morrem.
– Mas isso é mau! Não é bom, – isto é mau!
– Quem disse?
– Todos sabem!
– Todos quem?
– Todos nós!
– Eu não! Não me inclua nessa!
– Você não conhece Leis?
– Conheço.
– Pois então, as Leis dizem que matar é crime!
– Só se forem as suas Leis! As minhas Leis dizem que matar infiel é obrigação!
– Que Leis idiotas!
– As suas é que são!
– Pois chegamos a um impasse!
– Nisso estamos de acordo!
– E agora?
– Agora passarei-lhe ao fio da espada. Foi para isso que vim, ou não?
– Meu Deus!
– Que Deus?
– Força de expressão! Não me mate!
– Não vai se defender?
– Não sei, senhor!
– Mas é Homem!
– Homem é apenas uma construção social, senhor!
– Que diabos!
– Na verdade, eu escolhi o gênero feminino, senhor! Sou civilizado, sou livre para fazer minhas próprias escolhas, senhor!
– Mas nasceu Homem, meu rapaz! Olhe aí por debaixo das calças!
– Você não entende! Não entende!
– Vocês Ocidentais são todos loucos!
– Perdoe-me senhor! A sua Cultura é maravilhosa! Nós escrevemos livros e fazemos filmes louvando a sua Cultura!
– Mas nós queremos matar todos vocês!
– Isso é apenas sua expressão cultural, senhor! Tem de ser respeitada! Todas as Culturas são iguais!
– Você é louco!
– Sou civilizado!
– Vou te matar!
– Meu Deus!
– De novo?
– Força de Expressão!
– Esta não era a Terra dos Cruzados?
– Na Idade das Trevas, senhor, sim! Aqueles monstros! Mas nós progredimos! Nós vimos a luz! Nós evoluímos! Descobri que sou um acidente aleatório flutuando no espaço e que sou uma menina presa em corpo de homem!
– Sabe de uma coisa?
– O que?
– Vou-me embora daqui… Só tem louco!

Imagine That

Vou dizer uma coisa a vocês; É a primeira vez que eu vejo um sujeito sambar ao piano.

Não entenderam? Explico-me;

As vítimas dos ataques à Paris mal deitaram-se nos túmulos, os familiares mal choraram em seus lenços, e já me aparece um idiota aproveitador para ter seus 5 minutos de fama, sambando sobre a memória dos mortos em rede mundial.

E o pior (Se é que se pode haver algo pior do que este descalabro desrespeitoso); observem a escolha da música;

Música que sintetiza o multiculturalismo utópico que afundou a Europa e abriu as portas para todas estas barbáries que estão acontecendo.

Vamos destrincha-la verso a verso para que se perceba como sua mensagem é inútil, vazia e hipócrita;

– “Imagine there’s no Heaven, it’s easy if you try”

Não preciso imaginar, estou acompanhando o noticiário do ocorrido.

– “No Hell below us, above us only sky”

Realmente, não está abaixo, está aqui mesmo, como podemos observar.

– “Imagine all the people living for today”

É lindo. Não sei porque John Lennon tinha contas bancárias e fazia projetos laboriosos para suas longas turnês. Alias, quanto tinha o senhor John em suas contas bancárias?)

– “Imagine there’s no Countries, it isn’t Hard to do”

Novamente, não preciso imaginar. A França acabou. Ela e todos os demais países Ocidentais acabaram. Só restam meio EUA e Israel. E mesmo sem países soberanos, não vejo nenhuma melhora. Muito pelo contrario; Vejo povos indefesos diante de ameaças externas que declaram suas intenções hostis aos quatro ventos sem nenhuma hesitação, pois sabem que um lado quer matar (Eles próprios, os hostis) e o outro lado quer morrer (John Lennon e companhia)

– “Nothing to kill or die for and no religion too”

Ideologias Modernas tais como Socialismo e Comunismo mataram mais do que todas as “guerras santas” possíveis, imagináveis e inventáveis já realizadas sobre as terras deste planeta. Mao tse Tung matou milhões e não foi em nome de nenhuma Religião. Alias, o sujeito, (como muitos outros de seus companheiros Comunistas) abominava Religião, tal como o senhor Lennon.

(“Religião é o ópio do povo”, they say. E matavam milhões, para assinar embaixo.)

– “Imagine all the people Living life in Peace”

Não deu certo para o senhor Lennon, devo dizer. (Que alias, não imaginava isto coisa nenhuma. Quem conhece a vida politica do sujeito sabe que ela andava as voltas com politicos da extrema-esquerda Norte Americana tais como Jerry Rubin, Abbie Huffman e John Sinclair. Sabia exatamente pelo que militava, e não era pela Paz mundial.)

– Vou pular o refrão para não me alongar demais. Digo apenas que, infelizmente e realmente, John não foi o único sonhador (hipócrita), solitário; Angariou uma penca de idiotas com ele. –

Agora vamos ao supra sumo da Hipocrisia, em uma frase tipicamente Esquerdista, que faz jus ao seu viés Politico;

– “Imagine no possessions”

É necessário algum comentário? Qual era a fortuna deste rapaz? Em que mansão morava este rapaz?

Como todo militante, como todo beautiful people esquerdista, o sujeito vende uma ideia que não vive, desarma milhões de homens e mulheres bem intencionados, que compram um mundo que só existe nas letras das musicas do empulhador.

“Mas é isto! Queremos acreditar neste mundo! Queremos acreditar num mundo assim!”

Não filho, você não quer acreditar num mundo assim. Nem mesmo o querido John quer acreditar um mundo assim.

Num mundo sem posses, você não teria dinheiro para comprar o CD do John. Não ouviria as musicas do John. O John não teria mansões para morar, e não sambaria na sua cara, como este palhaço ao piano sambou sobre vitimas de um dos maiores atentados que a Europa já sofreu, em tempos de “Paz”.

Imagine that.

Bandeiras Erradas

Não é de se admirar que muitos jovens Europeus e até mesmo Latino Americanos estejam comprando as ideias absurdas do ISIS, deixando sua terra natal e se filiando a esse tipo de grupos.

Observem a formação que eles recebem.

No sistema público de ensino do Ocidente você aprende o seguinte;

– Se você é menino, está enganado! É menina!
– Se você é menina, está enganada! É menino!
– O seu Pai pode ser uma mulher e sua Mãe pode ser um Homem!
– Já sabe como faz bebê? Já sabe como faz para não ter bebê?
– Não corra porque pode cair!
– Não brinque com o amiguinho, pode magoa-lo!
– Tome seu remedinho regularmente!
– Não pise na formiguinha!
– Largue essa arminha de brinquedo! Olhe esta agressividade! Não seja Malvado!

(Não cito o sistema publico de Ensino brasileiro pois aí incluiriamos o trafico de drogas e pornografia explicita)

Nesta – Infelizmente – Fabrica de marginais (ISIS), o jovem se depara com;

– Seja um homem forte e saudavel!
– Faça exercicios fisicos uteis! (não ficar correndo como rato de laboratorio em esteiras de academias fechadas)
– Aprenda a se defender! (lamentavelmente isto é revertido para atacar)
– Aprenda Literatura!
– Aprenda artes marciais!
– Aprenda a manejar armas!
– Aprenda a agir em grupo!
– Disciplina!
– Respeito! (Infelizmente, só respeitam os seus)

Ora, entre ser alguma coisa e ser um nada, o alguma coisa sempre vence.

O espaço que eles estão ocupando foi o vácuo que nós deixamos. O Homem quer ser saudável e plenamente responsavel por si mesmo, quer ser capaz. Não quer ser um sujeito doente escorado em médicos ou escorado no Estado. Não quer um Estado babá que, além de estuprar sua individualidade, ainda inverte completamente a Realidade de forma desconcertante e é uma fabrica de lunáticos. Lunáticos inofensivos, é bem verdade. Inofensivos e indefesos. Diria que só cometem suicidios, não assassinatos. (Embora o suicidio seja uma forma de assassinato.)

É obvio que o ISIS, essa organização assassina e criminosa, enche os jovens de vida para depois cobrar um preço muito caro pela vida que receberam. É óbvio que dá todo este aparato no intuito de fabricar maquinas humanas de guerra. Mas o jovem Ocidental está sedento por ser alguma coisa, por poder fazer parte de alguma coisa. Ele quer levantar alguma bandeira e lutar por ela.

Se não damos uma boa bandeira para ser levantada, com os valores corretos e dignos de serem defendidos, então eles levantarão qualquer bandeira; Levantarão as bandeiras erradas.

Civilização Bovina

(Fresco testemunho ao dia de ataques à França, 13/11/15)

Tento não escrever nada mais, sob o risco de tornar-me inconveniente. Mas é dificil, pelo calor do momento e, mais do que isso; Pelas asneiras que o pessoal da Globo News fala, o tempo todo.

Ouço uma frase absurda e desligo.

Passam 10 minutos. Ligo. Ouço outra frase absurda e desligo.

Curiosamente a frase que mais ouço é a seguinte;

“Estão todos até agora tentando entender o que aconteceu! Atônitos! Escandalizados! Ninguém entende! Como pode?”

!!!

Como ninguém entende o que aconteceu?

Eu que sou um reles comerciante, atuante nos confins da Terra (Brasil) já estava falando sobre esta questão e sobre isto que viria a acontecer há milanos (e obvio que não falo por mim mesmo; vou na esteira de estudiosos sérios do assunto), e o Presidente Francês, com todo seu aparato de Inteligência e Informação, não sabe o que aconteceu.

O Leitor de Facebook do Miceli sabe o que aconteceu. O Presidente da França não sabe o que aconteceu.

Pode uma coisa dessas?

Mas não era sobre isso que eu ia falar. Meu dedo coçou para falar sobre a nossa condição bovina (ou suína), atual.

Isto mesmo; Nós, do Ocidente, fomos educados para ser gado indefeso, pronto para abate. Digo isto pelo seguinte; O maior número de mortos (100 mortos! 100 mortos!) foi em uma casa de espetáculos, e sabe quantos terroristas foram necessários para tirar 100 vidas Francesas?

2. (Dois)

Contem comigo; 1, 2. (Sim, já acabou)

Se fosse em um País sério, os dois últimos que ainda existem no globo (cito EUA e Israel, que não por acaso, são os mais atacados pela midia globalista e pelas instituições de “ensino”) estes sujeitos, mesmo agindo na covardia e favorecidos pelo o elemento surpresa, matariam no máximo 10 pessoas (o que já é de se lamentar), mas seriam rapidamente pipocados pelas outras dezenas de civis armados. (Sim, em Israel uma bela mocinha anda com uma metralhadora na cintura, se assim bem entender. O mesmo nos EUA.)

Por nossa vez, a nós, os “civilizados”, foi-nos ensinado o seguinte;

“Veja bem, filho(a); Você é um retardado mental. Você não é apto a usufruir do seu direito de Legítima Defesa, por que, provavelmente, daria um tiro na propria testa, sem querer. Isso ou mataria sua propria esposa ( ou seu proprio seu marido), em uma briga por quem lavaria os pratos da louça”

Ora, que pataquada dos infernos!

O assassino que quer matar, mata com uma faca de manteiga, mata com uma caneta, mata de mãos limpas! A arma nunca matou ninguem sozinha! Eu nunca vi uma noticia assim;

“AR-15 saiu à noite, às escuras, caminhou, abriu portas e matou 100 pessoas.”

Você já leu uma noticia dessas? Eu não. (E olha que há de tudo na midia atual. As invenções mais incriveis!)

No entanto, leio todos os dias;

“Marginais matam um Pai desarmado.
Marginais matam uma Mãe desarmada.
Marginais matam uma familia desarmada.”

Hoje li;

“Dois idiotas muçulmanos matam 100 cristãos/ateus desarmados”

É de se lamentar. Só não mataram mais por falta de gente para morrer. Ou porque a bala acabou. Ou sabe se lá porque. Tendo bala e tendo gente, matariam quinhentos, matariam mil, e ninguem poderia fazer nada.

Aí eu vejo video dos Franceses que foram ao Estádio de Futebol, saindo de lá, cantando a Marselhesa (O Hino da França), depois de terem ficados horas trancados no gramado do Estadio (como gado, mesmo), esperando a Policia libera-los.

O que muitos elogiaram como “O Retorno do Patriotismo Frances”, eu enxreguei como uma demonstração de pateticidade Incrivel; Todos andando a passos lentos, cantando o Hino, sim, mas sem bravura na voz. No mais, desarmados, ou melhor; Armados com seus celulares para tirar “self” e gravar o canto do Hino.

100 (cem) compatriotas morrendo nas ruas da Capital do País e ta lá todo mundo postando seu patriotismo no Facebook.

Hoje eu não escrevo mais nada, prometo.