Conceitos e pré-conceitos

Longe de mim ser o advogado do diabo…

(Demo Danado) – Até por que, fui criado para isso.
– Sim.

Mas vejam vocês: Deixados a si mesmos, em suas “reservas de proteção”, indígenas vivem praticamente da mesma forma que viviam 500 anos atrás. Aqueles que não foram expostos ao “contato”, parecem não demosntrar nenhuma preocupação com conceitos como “desenvolvimento” e “produção”; o que não é bom nem ruim, apenas uma caracteristica; uma opção. Repito: as tribos isoladas, vivem da mesma forma há 500 anos.

Tendo em vista este cenário, um sujeito que os caracteriza-se como “indolentes”, estaria fazendo uma provocação, sendo “racista”, ou apenas estaria descrevendo uma situação tal como ela se apresenta? Dizer que o indigena “trabalha apenas para sobrevivência e nada mais”, é uma afronta, ou um dado da Realidade? É um “pré-conceito”, ou um conceito formado pela experiência? Reflexões…

(Demo Danado) – Claramente é um discurso fascista, racista e intolerante…

Genialidade diplomada

“Prisões são campos de recrutamento para o crime organizado”, diz especialista. E a solução que o especialista propõe? Acabar com o crime organizado? Não. Acabar com as prisões… Com este tipo de abordagem genial, onde é que nós vamos parar, meus amigos?

(Demo Danado) – A melhor campanha que eu fiz no Brasil foi “Educação para todos” Só diplomados geniais…

Garotão filosofal

– Miceli.
– Pois não.
– Preciso que tire suas fotos do Facebook.
– …E por que eu tiraria minhas fotos do Facebook?
– Quero compartilhar seus textos… Mas se o pessoal vir que o autor é um garotão que vive em praias e em estadios de futebol, os textos não terão nenhuma autoridade.
– …
– Ademais, há um clima tênue de flerte entre você e suas leitoras, o que passa uma sensação de imaturidade juvenil.
– …
– Se quiser mesmo pôr fotos suas, que sejam fotos sérias, austeras – de preferência usando óculos, fumando charuto, e com uma estante de livros ao fundo. Aí, sim, te levarão a sério.
– Agradeço as orientações, senhor fulano. Irei implementá-las o quanto antes.
– Ótimo.
– Mas me diz uma coisa: o senhor contribui para manutenção do site?
– Não.
– Pretende contribuir?
– Não.

(Indo jogar futvolei na praia para voltar com fotos novas)

Solução em números

“Número de roubos e homicídios cai, mas mortes por ação policial aumentam no Rio de Janeiro” Se o numero de roubos e homicidios cai na medida em que a policia se torna mais combativa e parte para o enfrentamento, seria a letalidade policial a solução a curto prazo para a crise de segurança publica carioca? Números não mentem, meus amigos…

(Demo Danado) – Negativo. A solução para violência é Educação. Os alunos de comunidades têm de ir para escola aprender que são marginalizados pelo sistema capitalista e que têm todo o direito de cobrar sua divida histórica e social expropriando os bens da classe burguesa, utilizando o crime organizado como “segunda via legitima” contra um Estado “branco, patriarcal e liberal” opressor. Conscientização é tudo!

La chaîne éternelle

Lendo “As contemplações” de Victor Hugo, encontrei a frase ideal para o meu epitáfio: “J’ai porté mon chaîmon de la chaîne éternelle” Em tradução livre: “Eu carreguei meu elo da corrente Eterna” Que imagem poética, meus amigos… Isso é que é escritor!

(Demo Danado) – É por essas e outras que você se autodenominar “escritor” é um ato temerário…

O enlatado e o Real

Multiculturalismo enlatado para consumo e propaganda: “Com 80% dos jogadores descendendo de imigrantes, França melhora desempenho e é campeã mundial”

Multiculturalismo real com consequencias reais para o cidadão comum no dia a dia: “Paris tem cenas de violencia e destruição durante comemoração de título. Comerciantes sofreram com saques e depredações”

Imigração indiscriminada dá certo sim, meu amigos, podem acreditar.

(Demo Danado) – Vocês querem ser campeões no futebol ou gozar de paz, ordem e prosperidade no dia a dia? As duas coisas não dá…