Campeonato de pobreza

E já começou o campeonato de pobreza… No debate eleitoral para o Governo do Estado do Rio de janeiro, os candidatos Tarcísio Mota e Romário disputam para saber quem teve a infância mais sofrida: quem correu mais em esgoto a céu aberto e quem passou mais fome. Já repararam que, quando alguém quer angariar simpatia do público no Brasil, se faz de pobre coitado? É um gosto; um amor pela pobreza inacreditável. Ou a pessoa é pobre, e portanto, um “igual”. Ou a pessoa “ama os pobres”, e portanto, um “Pai”. Enquanto nos EUA você vê candidatos enumerando feitos e vitórias, superação e prosperidade, aqui no Brasil é uma demonstração de coitadismo maior do que a outra. Ser pobre por contingência não é demérito para ninguém; mas ser pobre por gosto já é demais.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s