Virtude genuína

Ser ingênuo não é ser bom. Assim como ser fraco não é ser pacífico. Ser bom tendo a malícia para ser ruim e ser ordeiro podendo ser agressivo é que se caracterizam como virtude. Grande parte das pessoas “boas” que conhecemos só o são por falta de opção; tendo poder para serem ruins e pisar nos outros, pisarão. Daí dizerem que o dinheiro (ou o poder intimamente ligado a ele) “muda” a pessoa. Na verdade dinheiro não muda ninguém, só faz aflorar aquilo que já estava latente, desde sempre.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s