Quis custodiet ipsos custodes

“Vigilante da agência bancária no Rio de Janeiro rende seu próprio gerente e rouba 700 mil reais” É aí que o poeta romano Decimus Iunius Iuvenalis, do século primeiro, nos perguntaria: “Quis custodiet ipsos custodes?” Ou seja: “Quem vigia os vigilantes?” O Rio de Janeiro nos propicia altas reflexões filosóficas, meus amigos…

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s