Noblesse oblige

O Game of Thrones global (“Deus Salve o Rei”) nos mostra definitivamente uma coisa: Austeridade, gravidade nos gestos e no dizer – a postura e elegância do nobre Europeu NÃO consegue ser reproduzida por um ator canarinho. Confunde-se nobreza de espírito com ostentação material gratuita, postura com pose, elegância com afetação, etc., etc. No mais, não se consegue levar nada a sério. Eu tenho p’ra mim que o brasileiro não consegue levar nada a sério, inclusive a si mesmo (não por excesso de bom humor, mas por necessidade, pois sua real condição é desesperadora) Enfim, certas qualidades vêm “de berço”, não tem jeito. É preciso uma estirpe de séculos para adquirir certas virtudes, e nós ainda não chegamos lá.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s