Mais direitos, menos liberdade

É muito fácil entender como a estratégia do crescimento do Estado funciona. Peguemos o exemplo atual da segurança publica. O Governo do Brasil investe pesado no trafico de drogas, seja pela omissão, ou até mesmo pela conivência (através de Leis que impedem o trabalho da polícia e protegem os bandidos) Quando a situação fica insuportável, este mesmo Governo aparece com uma solução milagrosa, uma “nova Pasta”, um “novo Ministério”, como o que Temer acaba de anunciar – “Novo Ministerio de Segurança publica”. Não é preciso dizer que isto demanda mais gastos públicos, mais servidores, etc., etc. Assim ele incha seu orçamento, e com a concentração de poderes no âmbito Federal (pois os estados sozinhos “não conseguem mais lidar com a situação”) ele também cresce em poderio que de outro modo não teria.

É assim na segurança pública, e é assim em todas as outras áreas. Cria-se a impressão de que todo idoso sofre terrivelmente com maus tratos dos mais jovens: cria-se o Estatuto do Idoso. Cria-se a impressão de que todo o homem é um agressor de mulher em potencial: cria-se o estatuto de proteção a mulher. Cria-se a impressão de que todo o homossexual é espancado diariamente no Brasil: cria-se o estatuto da pluralidade sexual (ou algo que o valha) Dizem que as crianças são maltratadas e escravizadas em todo território nacional: cria-se o estatuto da criança e adolescente. E por aí vai… sempre criando o problema (ou passando a impressão de que há um problema muito maior do que existe), para vender a solução. E a solução é mais Governo, mais Estado, mais portarias, mais pastas, mais ministérios, mais servidores, e mais, e mais, e mais… até que seu último centavo seja sugado em impostos, taxas e regulações, que é o que banca toda essa máquina imensa. Cada “novo Direito” exige todo um sistema imenso que o garanta – jurídico, policial, etc. -, e quem paga por todo este sistema imenso é você. Todo “serviço gratuito” é pago com dinheiro público. Portanto, lembre-se destes “detalhes” quando pedir “mais Direitos” e mais “serviços gratuitos”

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s