Pazes com a civilização

Não sou cinéfilo. Na verdade, assisto a poucos filmes. Mas devo dizer que fiquei completamente apaixonado pelo filme “Dunkirk”, de Christopher Nolan. E mais surpreso ainda – ou não – com a reação do público Indiano ao filme. As sessões nos cinemas indianos eram ovacionadas, homenageando não só o filme (que para mim, é uma obra de arte) como os eventos narrados no filme (um feito épico – e real – dos ingleses na Segunda Guerra Mundial)

E aí perguntarão: “Como os Indianos, que foram colonizados pelos ingleses, vibram com os feitos heroicos dos Ingleses?” Assim como perguntaram dois anos atrás “Como o Timor Leste, dentre outros países colonizados por Portugal, comemoraram o titulo Português na Eurocopa com tanta euforia, com direito a bandeiras Portuguesas tremulando e o diabo?” Bom, acho que finalmente estamos descobrindo o que havia nestas terras antes dos Europeus chegarem, e o que fizemos dela quando os Europeus partiram. Antes era a barbárie. Depois, a barbárie. O problema do Brasil, dizem, foi “os Portugueses” (o que é curioso, pois sem Portugal não haveria Brasil) Com eles vivemos a época mais rica e poderosa do Brasil – o Império. Sem eles, veio a Republica, e daí todo mundo sabe no que deu (um analfabeto no poder, uma quadrilha saqueando os bens publicos, 70 mil assassinatos por ano, últimos lugares nos testes de educação internacionais, etc.etc.) Assim é no Brasil, assim é em toda a America Latina (Vide Venezuela sem Espanha) e em todo o restante do mundo “subdesenvolvido” (A própria India, “livre” da Inglaterra, “presa” na miséria) Afastados os “malditos imperialistas”, nós chafurdamos numa lama ainda maior, cada vez mais profunda. Será que o problema realmente era os europeus?

Por isso eu fico particularmente emocionado, ou não tanto – satisfeito, quando vejo num povo o traço da gratidão. O reconhecimento de que a civilização lhe foi dada a conhecer e, malgrado todos os choques de cultura e interesses, se hoje nós temos a ordem de um Estado de Direito, as benesses da Ciência e tecnologias avançadas, e a moral Cristã que permeia toda nossa Constituição, é porque trouxeram isso de além mar (e não sem riscos) Enquanto não fizermos as pazes com nosso passado, tendo gratidão ao povo Português, aprendendo com nossas raízes e rompendo com essa ilusão medíocre de que morar no meio do mato nu morrendo de malária era bom, nós definitivamente não iremos para frente. Está na hora de reconhecermos que há a civilização e há a barbárie, e a civilização nos foi dada pelo Europeu.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s