Lógica interna do assalto

A “escritora” e “doutora” em “Filosofia”, Marcia Tiburi, nos diz que entende perfeitamente a “lógica interna do assalto”. O marginal – marginalizado pelo sistema Capitalista – simplesmente “cobra” a dívida que a sociedade tem para com ele. Neste caso não seria uma “apropriação indevida” e sim uma”restituição”; um “fazer justiça com as próprias mãos”, o que faz parte do “mito do bom ladrão”, sobre o qual comentei aqui em outra oportunidade.

Como o “sistema capitalista” e a “sociedade” não existem: são apenas conceitos, não ocupam lugar no espaço, não podem ser vistos nem tocados, não assinam documentos ou respondem por suas ações, o que se vê é a “coletivização da culpa”. Você, que estudou durante décadas e trabalha oito horas por dia – na maioria das vezes, apenas para pagar suas contas – súbito, responde por todo um “sistema”, por toda uma “sociedade” Isto enquanto o criminoso não responde sequer por si mesmo. A culpa é projetada e diluída, o criminoso torna-se vítima, e a vítima torna-se algoz. Não é preciso dizer que esta inversão macabra só pode ser de duas ordens: ou má fé dirigida, para produzir, proteger e dar salvo conduto a criminosos. Ou simplesmente um retardo mental.

Mas é claro que uma coisa é “entender a lógica interna do assalto” dando aulas numa universidade, fazendo uma palestra, dando uma entrevista ou escrevendo um livro. Outra coisa é “entender a lógica interna do assalto” quando você é o assaltado; quando uma arma está apontada para sua cabeça, ou quando levam todos os seus bens (quem lembra de Caetano Veloso – um destes “entendidos” – reclamando que seu equipamento fora roubado a caminho de um de seus shows? No entanto, ele não vê nenhum problema em ocupar e roubar terras alheias…) Seja como for, o que não faz o menor sentido para mim – o que não apresenta nenhuma “lógica interna” – é uma mulher como esta dar aulas, ser requisitada para palestras, ter programas de TV, e ser considerada “intelectual”. Se isto não é um sinal de que nossas instituições educacionais estão completamente dementes e que nossa percepção está embotada – ou pior, míope e invertida, eu não sei mais o que é

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s