Legitimidade seletiva

Que curioso: enquanto as “instituições” estrategicamente aparelhadas só davam sentenças favoráveis à corja que governou o país por quinze anos e seus amigados, todos falavam em “Respeito às Instituições” e ” Estado Democratico de Direito”. Bastou um punhado de procuradores e juízes não comprados fazerem seu papel e, súbito, estas mesmas Instituições perderam todo seu valor; encontramo-nos num “Estado de Exceção Policialesco”, e alardea-se a necessidade de uma “desobediência civil” ou até mesmo “rebelião”.

Os mesmos que se vangloriavam por “deixar a Policia Federal trabalhar” enquanto esta prendia seus adversários e mantinha os aliados soltos, agora se indigna e provoca: “Aqui vai um recado para dona Polícia Federal e para o Poder Judiciário: não pensem que vocês mandam no país!” Resumo da opera: No Brasil, uma Instituição só goza de “legítimo poder” se atende estes ou aqueles interesses. Enquanto acobertavam os desmandos do Partido dos Trabalhadores, eram “um orgulho para o país”, agora que resolveram trabalhar, tornaram-se “inconstitucionais” e um “impedimento à democracia”

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s