A boa causa

Aos que não entendem como ainda pode haver apoiador “são” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva, aí vai uma breve explicação. Desde que me conheço por gente, testemunho a constante propaganda do imaginário do “bom ladrão”: o sujeito que luta contra todo um “sistema opressor” para “roubar dos ricos e dar p’r’os pobres”.

O imaginário socialista/comunista alimenta-se basicamente desta fantasia: há um sistema corrupto opressor (o maldito sistema capitalista), uma casta de exploradores ricos (o famigerado “burguês”) e toda aquele que se levante contra este sistema é herói; tendo carta branca para mentir, trapacear, roubar e até matar, se tudo isto for “por um bom motivo”, por uma “boa causa”.

Daí você vê petistas condenados em todas as instâncias tendo, ainda assim, apoio de seus militantes, com direito até a “vaquinha” para soltá-los. A questão não é se o sujeito roubou ou não, a questão é que o fez por “uma boa casa” – a causa socialista, a causa do Partido. E daí você vê militantes petistas lutando contra a Lei da “ficha limpa” para que tenham a “liberdade” de eleger seus politicos, mesmo corruptos: Só são corruptos por uma “boa causa”.

É aquela famosa máxima maquiavélica de que “os fins justificam os meios”: Para derrubar os adversários do poder, para conquistá-lo e para se manter nele, vale tudo: não há freios morais. Deus é o Partido, o líder do Partido é o Messias (não comparam Lula com Cristo o tempo todo?), “a causa” é a “salvação”, mas, diferentemente do Deus cristão que estabelece Leis rígidas e absolutas invioláveis (como não matar, não roubar, etc., etc.), no Socialismo vale tudo.

Então não se surpreendam em ver algo já conhecida e comprovadamente imoral contar ainda com a estima de milhões de pessoas. “A moral Burguesa”, para este nicho, não tem o menor valor. Aliás, querem mesmo é destruí-la (estão dizendo por aí que “está rolando” até incesto no “BBB”…) Não há roubo, trapaça ou assassínio mau ou ruim “em si mesmo”; nada escandaliza este pessoal. Há apenas “a causa” (uma cenoura de burro qualquer como uma “igualdade” utópica, por exemplo), os que podem tudo (o Partido auto-santificado e seus militantes) e seus “inimigos”, cujo único papel é “Perecer no holocausto revolucionário”

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s