Barquinhos de Iemanjá

– Demo…
(Demo Danado) – O que é? (iracundo)
– O que você está fazendo, andando de um lado p’r’o outro, com esta prancheta na mão?
(Demo Danado) – Barquinhos de Iemanjá, Miceli, Barquinhos de Iemanjá! Centenas! Milhares! Milhões! Cada um com uma especiaria, e o pior: um pedido!
– Não sabia que isso era sua atribuição…
(Demo Danado) – Pouca coisa neste mundo não é minha atribuição, meu amigo. “Meu Reino não é deste mundo” não é uma frase minha!
– …
(Demo Danado) – “Tudo isto me foi dado e te dou se a mim te prostrares” é uma frase minha…
– …
(Demo Danado) – E eu acho legal as pessoas se prostrando, fazendo oferendas, pagando promessas… tem gente que até mata bicho!
– …Enfim, se você gosta, do que está reclamando?
(Demo Danado) – Mas eu não estou reclamando… estou trabalhando! E você está me interrompendo… Não tem mais o que fazer?
– Estou de férias.
(Demo Danado) – Escritor não tira férias… Ou ao menos não deveria. É por isso que você está pobre!
– …
(Demo Danado) – Bom, deixe-me com meus barquinhos… Amanhã vai chegar um monte deles!
– Fique à vontade…
(Demo Danado) – (Canta) “Ogum em seu cavalo corre… e a sua espada reluz” (dançando, rodando e abanando palmas verdes)
– …

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s