Lapso proposital

Ontem um jurista explicou para o povo brasileiro no programa “Fantástico” que a Lei “Anti-Terror” sancionada pela “presidenta” (?) Dilma Rousseff não contempla atos de terror movidos por ideologias políticas; apenas atos cometidos por “razões de xenofobia, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia e religião” Então estava lá um grupo dito “anarquista” explodindo bombas, arremessando Napalms, cometendo atentados, e tudo visto com bons olhos como “liberdade de expressão” e “incentivo a democracia”

Agora vamos pensar um pouco… Na Europa, com os governos abrindo de forma indiscriminada suas fronteiras e a Religião Islãmica ocupando sistematicamente todos os espaços – seja de forma “pacifica”, tendo seus fiéis o dobro de filhos que os nativos, exigindo privilégios jurídicos e assistências sociais, seja de forma violenta, com grupos terroristas cometendo atentados recorrentes – qualquer mobilização local que se levante contra o problema, ou ao menos reclame dele na internet, é rapidamente enquadrado justamente num desses itens propostos na Lei anti-terror de Dilma Rousseff: “Xenofobia, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia ou religião” Lá os Europeus nativos já estão sendo enquadrados nestas tipificações criminais, e parece que nós, aqui, copiamos o modelo.

O Brasil, assim como os países Europeus, se abriu de forma indiscriminada para países de maioria muçulmana, inclusive para aqueles que nutrem um ódio declarado ao Ocidente e possuem células terroristas ativas em seu território. O sujeito pode chegar aqui sem nenhuma documentação, ter acesso a todas as politicas sociais de auxilio, “bolsas”, estimulos, assistência medica gratuita – o diabo – e, pasmem, pode até mesmo votar ou criar um partido politico. Se por ventura começarmos a ter aqui os problemas como se tem na Europa, nos EUA e que praticamente se alastra por todo o Ocidente, preparem-se: segundo a Lei de Dilma Rousseff, VOCÊ, se ao menos reclamar na internet de algum ato em nome do Islã que venha a ser cometido, VOCÊ será enquadrado como “xenófobo e por preconceito contra religião” Isto enquanto a militância socialista bloqueia ruas (MST, MTST, por exemplo) , quebra lojas, depreda patrimônio publico e privado, incendeia meio mundo em “manifestações” sem que sejam incomodados no mais minimo que seja; muito pelo contrário, são citados, até mesmo pela midia e por “especialistas” como imprescindíveis “movimentos sociais” Não é demais?

Bom, o fato é que o “jurista especialista” concluiu sua entrevista no programa dominical global dizendo que a “omissão aos atos de terror de cunho politico-ideológico provavelmente tenha sido um ‘lapso” do legislador” Vejam bem, um lapso do legislador… E não uma proteção obvia aos braços armados dos partidos de Esquerda brasileiros, que fazem a arruaça que bem entendem sem sofrerem represálias, e uma mordaça para futuros imbróglios que possam surgir envolvendo o Islã.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s