Condenados a um mundo melhor

Um sujeito repreendeu-me pelas criticas constantes que faço aos progressistas, chamando minha intenção de que, se não fosse por eles, o mundo permaneceria parado, estagnado, constante, sem “evolução” Disse até que os grandes genocídios postos a cabo pela mentalidade revolucionária dos progressistas que querem “mudar o mundo” foram “úteis”, pois até mesmo experimentos cruéis em campos de concentração e a tecnologia desenvolvida em guerras teriam ajudado a humanidade a “evoluir”, tanto na medicina como na tecnologia, em geral. Pois bem. A pergunta que faço é a seguinte: para quem morreu, qual foi o progresso? A condição sine qua non para ser um progressista orgulhoso é estar vivo, e portanto, ser a parte da Humanidade na História que mata, ou ao menos assiste matar, sob o princípio redentor de “um mundo melhor”

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s