A tigela e o gato

Meu bisavô Achille Phillipo – que D’us o tenha em bom lugar – contava uma estória que deixaria os defensores dos “direitos” dos animais estarrecidos, e provavelmente teria a sua prisão exigida nos dias de hoje. Um belo dia – estando ele na Itália em plena Segunda Guerra Mundial e passando o pão que o diabo amassou – o senhor Achille viu um gato beber todo leite de uma pequena tigela e – transtornado – o matou na frente da família inteira. Motivo? A pequena tigela de leite deveria alimentar seus QUATRO FILHOS durante UMA SEMANA, e agora nenhum deles teria nada para comer ou beber. Tempos de guerra, meus amigos, tempos de guerra…

Lembro disso porque, quando vejo pessoas muito boas e razoáveis dizendo que o mundo, hoje em dia, está “muito difícil” e está “praticamente impossível criar uma criança” – lembrando das experiências que a minha própria família passou – fico um tanto quanto impressionado. A nossa época está longe de ser a ideal, mas comparada com outros tempos – e não apenas fases críticas como Guerras Mundiais, mas mesmo “épocas de ouro” passadas – nós, atualmente, vivemos como reis – repletos de facilidades. Não raro um sujeito pobre, hoje, tem melhor alimentação, mais facilidade de transporte, maior acesso a serviços básicos de saúde e até algumas regalias que seriam IMPENSÁVEIS em épocas passadas, mesmo para os endinheirados. E com todas as dificuldades nossos antepassados não se furtaram de viver, de dar a vida e de levar a Humanidade adiante.

Nós usufruímos de nossas vidas como se não tivesse custado nada a ninguém, quando na verdade exigiu o sacrifício de muitas gerações. Mesmos os Pais “relapsos” e os “maus exemplos”, ao menos deram o bem essencial sem o qual ninguém consegue fazer nada neste mundo – a vida. E quem diz que um filho de maus pais está condenado a uma vida desgraçada, não conhece a biografia da maioria dos grandes homens da história da humanidade. Nenhum deles nasceu em uma família perfeita de propaganda de Doriana. Muito pelo contrário: muitas vezes as próprias dificuldades servem de um aprendizado prematuro que irá despertar ali um grande gênio que lutará para superar as condições que ele sofreu.

Enfim, focar no melhor e focar no pior da vida, nos exemplos que encorajam e nos exemplos que desanimam, no fim das contas, é uma questão de opção. Mas eu agradeço aos meus pais, avós, bisavós, etc., pelos sacrifícios e por me fazerem viver. Se a vida fosse tão ruim quanto dizem, ninguém se daria o trabalho de respirar.

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s