Midrashê Shabat VI

No início de Outubro comecei uma série de textos intitulados Midrashê Shabat. Estes eram publicados todas as sextas-feiras, às vésperas do sábado, e eram como pequenos Midrashim (estudos, interpretações) acerca de ditos de Jesus; – selecionava algum dito enviado por um amigo que tivesse alguma duvida a respeito e o comentava. Com todo o alvoroço provocado pelos atentados em Paris, acabei por escrever por demais nas semanas seguintes acerca do Islã, bem como sobre a conivência Política Ocidental em relação a este, tendo a “Política Imigratória” como ponta de lança.

Pois bem, passado todo o rebuliço (e enfadado eu também destes assuntos) voltarei aqui à tradição das sextas-feiras, publicando mais um texto para a série dos Midrashim. O dito selecionado de hoje foi preservado no livro de Yochanam (João), capítulo 6, versículo 44, onde Jesus diz: – “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o atrair.” A profundidade deste dito só é devidamente percebida quando tem-se em mente a assertiva de Shlomo (Salomão), que nos diz: – “O que está faltando não se pode contar.”

“Ok, Miceli, você tentou. Mas eu não vi nenhuma relação!”

Pera lá! “Quem tem pressa erra o caminho”, diz também Shlomo. Vamos com calma. A assertiva de Salomão é de uma profundidade e verdade estarrecedoras, embora compactadas em uma pequenina frase. Em outras palavras, seria algo como: – “Você não pode dar falta do que não conhece”. Um ouvido não treinado para ouvir não reconhece a beleza de uma melodia ou harmonia, portanto para ele a boa música passa desapercebida. Olhos não treinados para ver ignoram a beleza de traços precisos e não são capazes de discernir uma boa pintura. Uma mente não treinada para inteligir não reconhece a grandeza de nobres idéias. Uma alma que é morta não carece do Espírito de Vida de D’us.

É justamente isso que Jesus pretende dizer com: – “Ninguém pode vir a mim se o Pai não o atrair”: – A menos que a alma seja acesa pelo Espírito de D’us, ela não será capaz de reconhecer a sua falta e buscar a sua conquista completa.

A ideia reaparece em outro dito preservado em Yochanam (João) capítulo 10, versículo 26-29, que diz: – “Vocês não me escutam porque não são das minhas ovelhas. As minhas ovelhas reconhecem a minha voz. Eu as conheço e elas me seguem. Dou-lhes a verdadeira Vida e elas jamais perecerão. Meu Pai que tudo me deu é maior do que todos, e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.”

E por isso há o elogio em Mateus, Capítulo 5, versículo 6: – “Bem-aventurados os que tem fome e sede da Justiça de D’us, pois serão satisfeitos.” E a instrução, no Capítulo 7, versículos 7 e 8:

“Peçam; – e vos será dado.
Busquem; – e encontrarão.
Batam; – e a porta lhes será aberta.
Pois todo aquele que pede, recebe.
O que busca, encontra.
E àquele que bate, a porta lhe será aberta.”

Publicado por

O Lenho Verde

"Aquele que fala por si mesmo está buscando o seu próprio prestígio. Mas quem busca o prestígio daquele que o enviou é verdadeiro, e nele não há falsidade."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s